Uma dúvida frequente para quem compra uma casa nova, está construindo ou reformando, é definir qual tipo de piso será usado. Existe uma grande variedade de tipos de pisos e revestimentos no mercado.

A decisão do piso deve ser analisada junto a diversos detalhes técnicos como avaliação do local, resistência e temperatura do piso, instalação e manutenção, limpeza, se será instalado na casa toda ou diferentes em cada ambiente, a estética e o custo do produto, entre outros.

Para que o ambiente fique bonito, prático e funcional, o piso deve ser escolhido corretamente. Outras questões que devem ser avaliadas são o fluxo de circulação de pessoas, o clima na região e a umidade do ambiente.

Trazemos algumas dicas para você avaliar antes de escolher o piso ideal para sua casa e orientá-lo melhor nessas questões tirando todas as suas dúvidas sobre o assunto.

👉Quer fazer um projeto sem compromisso? Fale conosco diretamente.

#1 Avalie todos os ambientes

Avaliar primeiramente as características do uso do piso e a finalidade do local que será instalado, e se os ambientes são internos ou externos para verificar qual tipo de piso correto de acordo com cada cômodo.

Os ambientes internos e externos devem ter especificações diferentes quanto à resistência a umidade, tipos antiderrapantes, temperatura do piso entre outros.

Reprodução: Freepik

#2 Resistência do Piso

Um fator muito importante, que deve ser avaliado, após decidir quais tipos de ambientes serão inseridos os pisos é a resistência deles. Os pisos estarão expostos a fatores que podem afetar sua durabilidade como umidade, circulação de pessoas, mudança de móveis, entre outros.

O piso que é poroso absorve mais água e com o passar do tempo isso pode comprometer sua durabilidade. Quanto menos poroso, mais resistente será o piso.

Existe uma escala que classifica o índice de resistência dos pisos que é fornecida pelos seus fabricantes. A classificação, denominada PEI (Porcelain Enamel Institute), é feita baseada na resistência à abrasão, que é o desgaste do material em relação ao tráfego de pessoas no piso e peso de objetos. A classificação do piso pelo índice PEI varia de 0 a 5, sendo o nível 5 o mais resistente na escala.

Reprodução: Madeirol e Pinterest

#3 Temperatura dos pisos

Os pisos também são avaliados de acordo com a temperatura do ambiente em que serão instalados. Lugares mais quentes são indicados para pisos frios que apresentam um toque de frescor ao pisar, transmitindo a sensação de diminuir a temperatura do ambiente, enquanto que os pisos quentes são indicados a lugares mais frios, transmitindo sensação de bem-estar e aconchego.

Os tipos de pisos frios que podemos indicar são a cerâmica, porcelanato, mármore, granito, cimento queimado entre outros. Os pisos quentes são os de madeira, laminados, pisos vinílicos, de bambu, entre outros.

Os pisos quentes são mais recomendados para ambientes que necessitam de mais comodidade e conforto como quartos e salas, pois permitem pouca passagem de calor para o piso, os pisos frios são mais recomendados para ambientes externos e áreas mais úmidas da casa como cozinhas e banheiros.

Reprodução: Pinterest e Madeirol

#4 Limpeza e manutenção

A limpeza e a manutenção devem ser analisadas na escolha do piso. Cada tipo de material tem as suas peculiaridades e deve-se tomar os cuidados necessários para limpar e fazer as devidas manutenções.

Os pisos quentes são os que demandam um pouco mais de cuidado na sua conservação, em alguns casos é mais recomendável utilizar um aspirador de pó e um pano úmido torcido para fazer a limpeza.

Os pisos frios podem ser limpos com água em abundância podendo ser jogada em todo o piso facilitando a limpeza. A frequência de limpeza para cada tipo de piso deve ser vista também, por exemplo, pisos que são claros devem ser limpos com mais frequência, pois tendem a ser perceptível a sujeira que se acumula.

Reprodução: Freepik

#5 Instalação

A instalação do piso também influencia na hora da escolha do tipo de material a ser instalado. Alguns pisos podem ser instalados pelo próprio morador da casa como os vinílicos autoadesivos, já a grande maioria dos outros tipos de pisos necessita de mão de obra para instalação.

Além da instalação em si é importante analisar o seu custo para ser feita, que deve ser somado ao custo do material também para ver se cabe em seu orçamento.

Reprodução: Freepik

#6 Segurança do piso

Outro fator a ser avaliado na escolha do piso é a segurança que oferece na hora de pisar, o quão resistente a derrapagens pode ser. Locais expostos à água ou materiais gordurosos como cozinhas, banheiros e piscinas devem ser escolhidos pisos que garantam a segurança das pessoas evitando assim derrapagens.

Existe também uma tabela que avalia a capacidade antiderrapante de um piso, denominado coeficiente de atrito. Quanto maior for o seu coeficiente de atrito, mais resistente a derrapagens o piso será, em compensação a limpeza do piso será mais difícil.

Em locais internos sujeitos ao contato com água são indicados, pela norma brasileira, pisos que contenham a classificação do coeficiente superior a 0,4. Já em áreas externas molhadas com declives, rampas, o coeficiente de atrito deve ser superior a 0,8.

Reprodução: Madeirol e Pinterest 

#7 Como saber a quantidade do piso necessária

Muitas pessoas têm dúvidas de como saber a quantidade do piso necessária para um ambiente. O cálculo da área do piso é feito pelo comprimento multiplicado pela largura, que resulta na área em m².

Por exemplo, um quarto com 3 metros de comprimento e 4 metros de largura, terá 12 metros de área em m², essa será q quantidade necessária do piso para este lugar. Recomenda-se sempre comprar 10% a mais, considerando as perdas do material.

#8 O piso ideal para cada ambiente

Agora que já explicamos tudo o que você precisa saber para escolher o tipo de piso para sua casa e o que é necessário ser avaliado antes, seguem algumas dicas de piso para cada ambiente: Para cozinhas os mais indicados são pisos de cerâmicas, porcelanatos ou granito, por serem frios e resistentes, além de práticos na hora de limpar.

Para salas os indicados são os pisos de porcelanato por serem resistentes para um ambiente com bastante circulação de pessoas, além de ser fácil de instalar. O piso de madeira é interessante ser instalado em salas onde o clima da região é frio.

Nos banheiros é a mesma situação das cozinhas, pois são áreas consideradas molhadas, combinam também com cerâmicas e porcelanatos, granitos ou mármores, além de pisos considerados antiderrapantes pela classificação do coeficiente de atrito.

Para os quartos são indicados pisos que sejam aconchegantes como laminados de madeira e pisos vinílicos, pois trazem conforto e durabilidade para os ambientes. Para quartos infantis são indicados pisos emborrachados, pois são mais seguros e confortáveis.

Em áreas externas, antes de escolher o piso alguns itens devem ser avaliados como exposição ao sol, impermeabilidade, tipos de pessoas no ambiente etc. O revestimento cimentício é indicado para lugares com piscina, pois é antiderrapante e não absorve calor. Porcelanatos rústicos também são indicados às áreas externas, pois não são escorregadios.

Piso de madeira sala de estar

 

Piso laminado de madeira em quarto

 

Piso cerâmica em banheiro

 

Piso porcelanato sala de estar

 

Piso área externa revestimento cimentício

Reprodução imagens: Pinterest

 

Agora que você já sabe o que precisa analisar para escolher o piso ideal para cada ambiente de sua casa e quais os mais indicados para cada cômodo, que tal começar a estudar os pisos e começar a obra? Para garantir conforto, segurança e praticidade, você deve escolher os pisos que combinam com seu estilo e transmitam a sua personalidade para toda a casa.

Já escolheu seus pisos? Que tal investir agora em móveis planejados para mobiliar os cômodos reformados? Assim os ambientes de sua casa ficarão mais bonitos, funcionais e mais práticos. Fale com um de nossos consultores de projetos e solicite um orçamento.

 

LEIA TAMBÉM:

10 DICAS PARA SUA REFORMA CABER NO BOLSO

7 DICAS PARA PLANEJAR SUA COZINHA AMERICANA

ÁREA DE SERVIÇO PLANEJADA: FAÇA A SUA

QUARTO INFANTIL PLANEJADO: COMO PREPARAR O AMBIENTE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.